Saiba como ter um imóvel sustentável e contribuir para sua qualidade de vida

A construção imobiliária moderna vem apostando cada vez mais em empreendimentos tecnológicos e sustentáveis, que, além de proporcionar mais conforto e qualidade de vida, colaboram diretamente com o meio ambiente. A captação de energia solar e o reaproveitamento da água da chuva são exemplos que vêm sendo aplicados com sucesso na construção civil e, aos poucos, deixaram de ser tendência e transformaram-se em práticas necessárias de reponsabilidade ambiental, capazes de mudar espaços e hábitos diários.

Mas as inovações não se limitam a imóveis novos, pois é possível ajustar cada construção a um consumo consciente com ações simples no dia a dia. Abaixo listamos algumas dicas que podem proporcionar sustentabilidade a sua residência, ao mesmo tempo que dão charme e, ainda, podem contribuir para a valorização do imóvel.

 

Como ter um imóvel sustentável com ações simples no dia a dia

 

  1. Luz natural

Para quem possui grandes janelas, a iluminação natural, sempre presente no planejamento de designers e arquitetos, é um ponto que deve ser aproveitado. Elas oferecem ótima circulação de ar, economia de energia pois não haverá necessidade de uso de luz artificial, além de sofisticação para ao imóvel. Um ambiente clean é sempre mais confortável, sem falar que a presença da luz solar pode contribuir também com a saúde na produção de vitamina D.

 

  1. Lâmpadas de led

A iluminação em led oferece grandes benefícios para o ambiente, na contramão das fluorescentes e incandescentes, as lâmpadas de led possuem maior vida útil e economizam em 80% o consumo de energia. São, portanto, mais ecológicas, apresentam baixa emissão de calor e funcionam em baixa voltagem. Uma verdadeira tecnologia verde.

 

  1. Equipamentos inteligentes

A tecnologia e construção ecológica estão crescendo como aliadas e tendem a progredir com a presença de equipamentos inteligentes, que contam com prevenção de gastos de água, sem mencionar a praticidade. Um exemplo é a instalação de pias ou chuveiros com emissão de água automática, entre outras opções.

 

  1. Sistema de reuso de água

A reutilização, tão importante quanto o consumo consciente de água, contribui diretamente para o meio ambiente evitando o desperdício de águas limpas. Esta prática pode ser utilizada com a água da chuva, por exemplo, para irrigar plantas, lavar varandas e demais atividades domésticas.

 

  1. Cultivar plantas

Ter jardim ou até mesmo uma horta em casa é um benefício e tanto. As plantas, melhoram a qualidade ambiente do ar e ajudam a controlar a temperatura do local. Já o cultivo de hortaliças proporciona o consumo de alimentos orgânicos, frescos e livres de agrotóxicos. Com esse foco a construtora Miramar desenvolveu o empreendimento Reserva Brasil, que traz hortas e árvores frutíferas em seu projeto paisagístico para incentivar os moradores a terem suas hortas caseiras.

 

  1. Separar o lixo

Plástico, metal, vidro, papelão e lixo orgânico precisam ser separados. A coleta desses materiais individualmente evita que eles sejam despejados em lixões ou aterros sanitários e demorem anos para se decompor, a prática diminui a exploração de recursos naturais e a poluição do solo, da água e do ar.

 

Conferiu que com ações simples também é possível estar engajado na proteção da natureza e inovar no design da sua residência? Já promove essas ações no seu dia a dia?  Gosta de sustentabilidade ligada à arquitetura? Então conte para nós o que acha mais importante para gerar um imóvel sustentável e compartilhe conosco uma dica para as pessoas fazerem também em suas casas.

Optima Comunicação Estratégica


Estrangeiro que investir em imóvel no Brasil terá direito a visto

Desde o fim de novembro, quem comprar imóvel no país pode pedir autorização para residir

Pensando em atrair os olhares de estrangeiros que pensam em morar no país, o Brasil decidiu apostar em uma alternativa de sucesso em outros países e que facilitou a saída de brasileiros interessados em residir no exterior.

Desde o fim de novembro, o estrangeiro que comprar um imóvel no país tem o direito de pedir uma autorização de residência, uma alternativa bem similar ao chamado “visto gold” que existe para facilitar o processo de mudança para outros países, como Portugal.

No Brasil, o investimento mínimo em imóveis prontos ou em construção é dividido por regiões. Quem optar pelos estados das regiões Norte e Nordeste, terá de desembolsar R$ 700 mil, já nas demais regiões o valor terá de ser de, no mínimo, R$ 1 milhão. Esta regra é válida tanto para imóveis residenciais quanto comerciais, mas apenas para os urbanos, sem incluir propriedades rurais.

Para o imigrante ter direito a uma autorização provisória de dois anos, o investimento no ramo imobiliário deve ser validado por um banco nacional. O prazo estabelecido como provisório serve para garantir que o imóvel está sendo conservado e continua com o mesmo dono. Depois disso, a autorização se torna permanente.

Optima Comunicação Estratégica


Os três erros mais comuns na hora do financiamento imobiliário

Verificar a documentação e planejar custos adicionais são essenciais

 

A compra de um novo imóvel é repleta de felicidade e ansiedade, que pode acabar levando o comprador a cometer um dos cinco erros mais comuns na hora do financiamento imobiliário. Estes cinco equívocos estão listados abaixo:

 

1 – É preciso planejamento financeiro

Perder o imóvel para o banco é o grande risco ao ficar inadimplente com o financiamento imobiliário. Desta forma, a organização e o planejamento bem-feito do orçamento mensal são essenciais. O valor da parcela não deve comprometer mais do que 30% da renda familiar.

2 – Planeje custos adicionais

Não conhecer todos os custos que fazem parte da aquisição de um imóvel é mais um erro bastante comum. Despesas com as custas cartorárias, com a emissão de certidões, entre outros, podem custar até 10% do investimento e acarretar em inadimplência ou na contratação de outro empréstimo, de maneira que prejudique a renda familiar.

3 – Verifique sua documentação

É necessária a verificação da documentação exigida e sua validade. Caso o prazo do documento termine, será obrigatório fazer outra via e acarretará em mais demora e burocracia no processo de financiamento imobiliário.

Tem mais dúvidas sobre financiamento? Já conhece nossos empreendimentos e vai precisar financiar? Fale com um de nossos corretores e busque todas as informações que precisar. Clique aqui.

Optima Comunicação Estratégica


Santos e o novo conceito de urbanidade

Como a cidade se encaixa nesta definição e o que ela pode lhe trazer de benefícios

Já parou para pensar o quanto o santista gosta de fazer tudo a pé? Você mesmo já pensou em deixar um pouco o carro na garagem e dar uma volta pelo seu bairro caminhando? Se já fez, principalmente na cidade de Santos, sabe o quanto é prazeroso observar cada detalhe que encontra em sua região, muitas vezes despercebido quando está dentro de carros ou em motos. Essa sensação não é à toa. Existem estudos que mostram o quanto essas possibilidades são importantes no dia a dia das pessoas e, junto à uma infraestrutura adequada, definem o conceito e urbanidade.

Confira abaixo os fatores que compõem a definição atual de urbanidade e todas as vantagens que morar em locais assim podem trazer ao seu dia a dia:

  1. Infraestrutura

Urbanidade é diretamente associada a uma boa condição de vida e a questões como existência de água encanada, saneamento básico, luz elétrica, asfalto, transporte e todos os serviços básicos, como educação e saúde, para que a população tenha o mínimo para viver naquele local. Mas não só isso. É preciso que as pessoas estejam integradas a essa infraestrutura, pois sua dinâmica no dia a dia também é fator que compõem esse conceito. Os moradores têm de se sentir parte do bairro.  E fazendo parte terão a sensação de bem-estar, como veremos abaixo.

2.   Bem-estar

A sensação de bem-estar de seus moradores também entra no conceito moderno de urbanidade. E isso não se resume apenas à infraestrutura, mas também à qualidade de vida. A presença de centros comerciais, espaços de lazer, entretenimento e serviços como padaria, farmácia e lojas em um raio que a população possa ir a pé estão diretamente ligados à bem-estar e, consequentemente, a urbanização.

E vamos além:  calçadas apropriadas e conforto ambiental também é essencial. Fatores como uma arborização adequada, proteção do sol, iluminação à noite adequada para o pedestre, possuir pelo menos 12 metros quadrados de área verde por habitante e a velocidade máxima das vias de 30 Km/h são algumas características que também entram na definição de um bairro urbanizado.

3.   Segurança

A segurança, que também faz parte do conceito de um bairro urbanizado, além da presença de policiamento, está diretamente relacionada à presença das pessoas nas ruas. Ao contrário do que muitos pensam, que muros oferecem segurança, segundo pesquisas, na verdade, eles dão a sensação de insegurança e fazem com que as pessoas não andem a pé. Este conceito de ocupar o espaço e resolver as coisas a pé também traz de volta a questão do bem-estar, já que conseguem resolver as necessidades dentro do bairro e de preferência a pé.

Em Santos, apesar de muitos prédios, as pessoas ainda gostam de fazer muitas coisas a pé e estão sempre presentes em diversos bairros. É por isso, junto à presença da praia, à prática de esportes e uma vida mais saudável é que faz com que a cidade seja tão procurada como local de “qualidade de vida”.

São diversos os bairros da cidade que estão dentro dessas características e oferecem tudo o que você precisa. Mas sempre existe aquele preferido, não é mesmo? Conte para nós qual é o que mais gosta e o que mais gosta de fazer na cidade. Aproveite e conheça nossos empreendimentos e também comente por qual você mais se interessou. Clique aqui.

Optima Comunicação Estratégica


Etapas para a aprovação do seu financiamento imobiliário

Comprar um imóvel é sinônimo de como investir bem seu dinheiro. Mas demanda um planejamento financeiro eficiente e muita disciplina, mesmo em um cenário de mercado em que há muitas facilidades de crédito disponíveis.

No entanto, para acelerar este processo em busca do financiamento imobiliário, é preciso seguir algumas etapas de organização de informações e documental. Confira algumas dicas importantes.

 

  1. Realizando o Cadastro Positivo, oferecido pelo Serasa Experian, os bancos e as empresas sabem que você está com seus compromissos em dia e podem lhe proporcionar empréstimos e menores taxas de juros.
  2. Abrir, ou já ter, uma conta no banco em que você fará o financiamento pode ser de suma importância para acelerar o processo. Afinal, a instituição sabe quanto entrou e saiu da sua conta e usa isso para avaliar se você tem condições de arcar com o financiamento.
  3. Deixe separada a declaração do Imposto de Renda, os holerites e o extrato bancário dos últimos três meses. Como o financiamento é uma dívida cara, você terá de comprovar que tem dinheiro para tal.
  4. Será mais fácil comprovar que você recebe tudo o que declarou depositando todo o dinheiro que ganha no banco, em especial se for autônomo ou tiver mais de uma fonte de renda.
  5. Se você é trabalhador informal, abrir uma empresa como Microempreendedor Individual (MEI) facilitará na hora de analisarem seu crédito, já que você começará a pagar Imposto de Renda.
  6. É essencial tomar cuidado nas restrições que podem ser feitas ao seu CPF. Por isso, cheque se existe dívidas a serem pagas e as regularize o quanto antes.
  7. Sites especializados em financiamento imobiliário disponibilizam um atendimento diferenciado e proporcionam facilidade na hora da troca de documentos e receber propostas de diferentes bancos.

Imóvel de alto padrão: a melhor opção para investir

Apostar neste nicho do mercado imobiliário é uma boa opção. Entenda.

 

Se você planeja investir em algo seguro e rentável, é bom dizer que o mercado de imóveis de alto padrão não foi abalado pelas inconstâncias econômicas do país e segue sendo uma ótima alternativa.

Conforme o tempo passa, a tendência é de que o imóvel continue valorizando e se mantenha lucrativo. O aluguel destes apartamentos também é uma opção para ótimos dividendos.

De acordo com o diretor do Grupo Mendes, Alex Mendes, a valorização quase que imediata deste tipo de imóvel, por conta do mercado aquecido, pode ser um excelente investimento a médio e longo prazo. “A procura por apartamentos de alto padrão para alugar é alta e isto acaba se tornando mais um motivo para investir neste mercado”, explica.

Ainda segundo Alex, o mercado de alto padrão costuma ter um público um pouco mais exigente. “É necessário que exista, além de uma estrutura excelente, conforto, segurança e entretenimento para este público. E é exatamente isso que buscamos levar nos empreendimento da Construtora Miramar”, afirma.

 

Características de um imóvel de alto padrão

Algumas características são essenciais na hora de definir um imóvel como de alto padrão. A começar pela localização. Os compradores de imóveis de luxo procuram uma localização privilegiada, com comércios no entorno e facilidade de acesso às demais áreas da cidade.

A infraestrutura é mais um ponto que é considerado pelos compradores, já que a arquitetura e o design destes imóveis de luxo são exclusivos e diferenciados em relação aos apartamentos comuns. “Os espaços de lazer são fundamentais para quem quer adquirir um imóvel de alto padrão. Piscina coberta e aquecida, quadra esportiva, academia e, até mesmo, sala de cinema são pontos que tornam o imóvel mais atrativo para o comprador”, exalta o diretor do Grupo Mendes.


Imóveis para o público jovem são opções de investimento

Mercado que cresce a cada ano no Brasil é visto como boa alternativa pelos investidores

 

O mercado de imóveis voltado para estudantes universitários é muito forte nos Estados Unidos e na Europa e, apesar de pouco explorado, tem se mostrado muito promissor no Brasil e pode ser um “tiro certeiro” para os investidores.

Estima-se que cerca de 2 milhões de estudantes no país estudam longe de casa e precisam de um lugar para chamar de seu. Estrutura diferenciada, segurança, organização e localização próxima a universidades são critérios importantes e que o imóvel deve conter para se tornar mais atrativo para o universitário.

O Vianna Home, novo empreendimento da Construtora Miramar, possui este conceito e ainda conta com uma arquitetura planejada, com decoração pensada especialmente para o público universitário, fazendo o uso de elementos coloridos de design contemporâneo nos ambientes de área comum.

A estrutura de lazer completa localizada em um mesmo piso promove a integração social, tão valorizada pelos jovens, através de diversos ambientes modernos e idealizados para proporcionar experiências incríveis.

A área de lazer conta com piscina, deck molhado, salão de festas, espaço gourmet com churrasqueira, fitness center, sala de games, lavanderia e coworking, onde também é possível contemplar a vista de 360º da cidade.

Para o diretor do Grupo Mendes, Alex Mendes, o imóvel universitário é uma excelente opção de investimento. “Comprar um imóvel com este perfil é uma boa alternativa para o investidor, a medida que este cenário se torna, a cada ano, mais promissor no país”, explica Alex.

 

Optima Comunicação Estratégica


Cinco dicas importantes na hora de financiar um imóvel

É normal surgir aquela dúvida sobre qual é a melhor maneira de lidar financeiramente com a compra de um imóvel. E quando ela paira, uma das primeiras opções escolhidas pelos consumidores é recorrer ao crédito habitacional.

O financiamento imobiliário tem sido um dos principais meios utilizados por compradores para viabilizar o sonho da casa própria. Pensando nisso, disponibilizamos cinco dicas para ajudar você na hora da decisão de qual a forma mais segura para financiar seu imóvel.

1. Planejamento é essencial

Em momentos como esse, é fundamental manter a razão acima da emoção. O preço do imóvel tem de estar de acordo com a sua renda e, antes de assinar o contrato, devem ser mensurados os prós e contras de um financiamento imobiliário.

Com diversos agentes financeiros realizando este tipo de serviço, é preciso levar em conta as condições do financiamento, taxas de juros, os prazos, tempo de aprovação, entre outros pontos importantes.

Como as linhas de crédito alternam de acordo com algumas variáveis, como valor do imóvel, da entrada, quantidade de parcelas, entre outras, é fundamental traçar o estilo de imóvel que você deseja de acordo com o orçamento disponível para a aquisição.

2. Simule antes de contratar

Para ajudar você a definir qual o melhor tipo de financiamento, algumas empresas já oferecem em seus sites o serviço de simulação de crédito que proporciona ao cliente uma maneira a mais de começar a se planejar antes mesmo de iniciar o processo.

Testar as linhas de crédito e quanto será necessário que você comprove de renda para o empréstimo que está visando são algumas das vertentes possíveis de analisar em diferentes instituições.

3. Convênios facilitam a sua vida

Antes de fechar o financiamento, procure saber se o local onde você trabalha possui convênio com agentes de crédito, que podem te disponibilizar uma série de vantagens, como, por exemplo, juros mais baixos e prazos maiores para parcelamento.

4. Separe a documentação necessária e ganhe tempo

Como financiar um imóvel é um processo bastante complexo, as instituições financeiras costumam pedir uma série de documentos necessários para realizar o financiamento.

Entretanto, muitos são documentos básicos e que são necessários em diversas destas empresas. Para isso, busque se informar sobre e separar tal documentação, isso pode agilizar a liberação do financiamento.

5. O limite para o financiamento deve ser de 30% do seu orçamento

Adquirir um imóvel requer um sacrifício financeiro a longo prazo, por isso é necessário zelo e cuidado na hora de selar o negócio. Para isso, deve ser feito um levantamento de seu orçamento pessoal e familiar, para garantir que o financiamento não ultrapasse 30% dos seus gastos.

Seguindo estas dicas, você tem tudo para se planejar da melhor maneira para acertar na hora de escolher o financiamento perfeito para realizar o sonho da casa própria. Contudo, para ter o crédito aprovado é necessário seguir sete importantes etapas.


Como evitar cair em golpes na hora de comprar um imóvel

São muitos os detalhes que devem ser observados, tanto em relação à documentação quanto a dívidas

Realizar o sonho da casa própria é o desejo da maioria dos brasileiros. Mas não é nada fácil de alcançar. Ele envolve um aporte financeiro alto, que costuma comprometer o orçamento por muitos anos, e, além disso, tem muita burocracia envolvida. Porém, comprar um apartamento ou uma casa não é uma missão impossível.

No entanto, além de vencer todas as dificuldades, é preciso também ter muita atenção para não cair em uma cilada. São muitos os golpes aplicados na hora de comprar um imóvel e é preciso tomar bastante cuidado para não virar uma vítima deles. Fique atento para evitar que o sonho se torne um pesadelo.

Se a negociação for ser feita através de um corretor ou de uma imobiliária, o primeiro passo é verificar se eles estão realmente habilitados para intermediar a negociação de forma segura.

“É importante ser assessorado por um corretor de confiança porque um leigo não vai estar apto para fazer o processo. Verifique se o corretor é credenciado através do site do Creci. Assim, é garantido que ele vai ter a instrução acadêmica necessária e ter a conduta guiada pelo código de ética”, sugere José Augusto Viana Neto, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP).

Outro detalhe que pode parecer inofensivo, mas que se torna importante no processo da compra de um imóvel é o tempo que se leva para concluir a aquisição. E esse período é essencial para que tudo corra da melhor forma e que a compra seja finalizada com sucesso. O comprador precisa estar atento que não é algo que acontece de uma hora para outra.

“A compra de um imóvel requer um tempo para a negociação e a documentação. Quando um vendedor está com pressa, fique atento. A ansiedade para vender pode ser sinal de coisa errada”, ressalta o advogado Rodrigo Karpat, especialista em direito imobiliário.

Para não cair em um golpe, é preciso ter a certeza que o imóvel está no nome de quem está vendendo. “É fundamental ir no Cartório de Registros de Imóveis para ter uma certidão para verificar quem é o real proprietário”, explica José Augusto Viana Neto.

Este documento também vai informar se dívidas, penhora ou disputa judicial em relação ao bem. Com as informações em mãos, é possível comparar as que foram repassadas pelo vendedor. É importante ainda avaliar se há débitos em aberto com o município ou com o condomínio. A certidão de débitos municipais vai informar se há dívidas com o IPTU.

“Também é importante pedir uma declaração do síndico informando que a unidade está quite com as obrigações perante o condomínio“, acrescenta o presidente do Creci-SP.

Mais um passo importante durante o processo de compra é a necessidade de verificar a saúde financeira de quem está vendendo o imóvel. “Quando vai realizar uma aquisição, é importante que se faça uma pesquisa de como estão as finanças de quem está vendendo porque um problema que a pessoa tenha pode acabar recaindo em quem está comprando“, conta Rodrigo Karpat.

Esta etapa deve se estender em ocasiões específicas para um maior detalhamento de dados. “Se o proprietário do imóvel tem um cônjuge, é preciso tirar as certidões dele também. E se o dono for pessoa jurídica, é preciso ter as certidões de débitos federais e as mesmas certidões dos sócios da empresa“, detalha José Augusto Viana Neto.

Antes de fechar negócio, não deixe de visitar o imóvel para saber se ele existe e se a localização está correta. Se possível, converse com vizinhos para ter conhecimento da história do lugar. Se já houve alguma tentativa de golpe antes, provavelmente as pessoas que moram perto vão ter algum conhecimento.

Além disso, se o vendedor não for o proprietário, atenção à procuração. É bom ir ao cartório em que foi registrada para verificar a veracidade e se não foi revogada. Por último, fique atento a valores que estão abaixo do mercado, nem sempre a economia traz vantagens.

FONTE: ZAPI MÓVEIS


Investir em imóveis residenciais ou comerciais?

Os dois apresentam vantagens e desvantagens que são importantes ter em mente antes de tomar qualquer decisão

Na hora de fazer um investimento, comprar um imóvel se mostra uma solução cobiçada entre os brasileiros. Este é um mercado tradicionalmente valorizado e pode gerar uma margem de lucro boa se a escolha for acertada ao ter um imóvel para alugar. O preço, tamanho ou a localização são apenas algumas das diversas  variáveis muito importantes para escolher o imóvel certo para investir.

Uma das principais definições, para quem vai investir em um imóvel, é a escolha entre um imóvel residencial ou comercial. Os dois têm pontos positivos e conhecer o que cada um proporciona pode garantir um resultado financeiro melhor, principalmente a médio e longo prazos. Saiba quais são as vantagens, desvantagens e como optar pelo melhor tipo de imóvel para ter o maior retorno possível.

Historicamente, os imóveis comerciais costumam atrair mais investidores, porém é preciso analisar vários fatores que podem influenciar na escolha. Uma questão em comum é que a localização é importante tanto para os comerciais quanto para os residenciais, mas pode ter um peso maior e até auxiliar no sucesso de uma loja, por exemplo.

“É preciso que ele seja em um ponto que tenha a certeza da vocação comercial da região. E é importante ficar atento a outros detalhes também, como ver se em uma determinada rua um dos dois lados, o direito ou esquerdo, tem valor comercialmente maior do que o outro lado. É bom ter uma visão do local”, afirma José Augusto Viana Neto, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP).

Outro fator é que os contratos de aluguéis de imóveis comerciais costumam ser mais duradouros. “No residencial, é comum precisar de algum tipo de reforma com a saída do inquilino. O locador precisa fazer isso o mais rápido possível para recolocar o imóvel no mercado e concorrer com outros reformados ou novos”, ressalta Luciano Novaes, vice-presidente do Sindicato da Habitação de Pernambuco (Secovi-PE).

A situação econômica do Brasil também pode influenciar na escolha do melhor tipo de investimento. Eventuais crises geram desconfianças e posturas mais conservadoras que retraem investimentos das empresas e também na aposta de empreender. O resultado é uma menor procura de imóveis comerciais e até mesmo a redução em valores de aluguéis para conseguir um locatário.

Renda ainda é o grande obstáculo para conseguir financiamento de imóvel

“Com a população empregada, havia mais possibilidade de as pessoas empreenderem. Com uma crise, a taxa de desemprego alta e a instabilidade, muitas pessoas preferem não arriscar. Portanto, a procura por imóveis comerciais para alugar consequentemente cai”, diz Manoel da Silveira Maia, presidente do Creci-RJ.

Portanto, diante deste contexto, avaliar a atual situação da economia também é necessário. Para Manoel da Silveira Maia, as pessoas acabam fazendo um esforço quando se trata de um lugar para morar. Nesta questão, o economista Antônio Pessoa, professor do UniFBV, aconselha investimento em imóveis menores, seja residencial ou comercial.

“As pessoas têm dado prioridade para imóveis pequenos até para trabalhar com aluguel na faixa mais acessível. Além disso, deve-se priorizar empreendimentos que agreguem serviços e que tenham o lazer como diferencial. A tendência de condomínio clube é uma alternativa que pode trazer benefícios”, reforça.

Ou seja, no final das contas, a decisão passa pela análise de vários fatores que podem influenciar o rendimento com um imóvel, seja residencial ou comercial.

“É importante buscar um imóvel que ofereça um custo benefício melhor, que possa cobrar um aluguel que seja com o preço do mercado, mas que também remunere o investidor. No mercado de aluguel, vale muito a localização, proximidade de área que ofereçam serviços, coisas que vão valorizá-lo. Se a pessoa tem esse tipo de imóvel, fica mais fácil de alugar e ter retorno, seja comercial ou residencial”, conclui Antônio Pessoa.

Conheça bem a construtora responsável pelo lançamento antes de investir

FONTE: ZAPI MÓVEIS